Bio




Gustavo Dittrichi teve os primeiros contatos artísticos timidamente, ainda na infância, estimulado na escola primária. Participou de montagens teatrais escolares, sendo a primeira aos seis anos, como “Aladdin”, em uma montagem baseada no filme da Disney. Entre 10 e 11 anos, participou das peças “Chapeuzinho Vermelho Às Avessas”, vivendo o Lobo Bom, e “Ninguém É Igual a Ninguém”, adaptado do livro paradidático homônimo. Mas foi somente em 2005 que tomou gosto pela arte, quando teve a primeira experiência com teatro musical, dirigindo e adaptando o roteiro de “Chicago”, montagem escolar baseada na peça da Broadway.

Passou então a integrar um grupo de teatro independente, o Lusco-Fusco, desde 2006, e com o qual permanece até hoje. Com o Lusco-Fusco, participou de diversos laboratórios de musicais, seja como diretor, roteirista ou integrante do elenco, nas adaptações de “Moulin Rouge” e “Chicago”, e nos originais “Open-Bar” e “Disney In Concert”. Em 2011, participou de mais um laboratório de teatro musical, o original “Um Conto de Cinderela”, como o príncipe moderno Alex Z., vivendo pela primeira vez um protagonista no teatro. Também participou das composições musicais e da criação de texto do espetáculo.

O interesse por teatro musical despertou também o interesse pela música e, em 2008, começou a estudar canto. Fez aulas de canto com Bárbara Ádyla e com Raphael Begosso, aprendendo técnicas vocais como speech level singing, belting e canto popular.

Apaixonado também pela escrita também desde a infância, formou-se em Jornalismo e hoje divide a atuação na área de imprensa e comunicação com a arte. Como jornalista, já foi apresentador do antigo BOOM!, portal de cultura jovem, com programa de WebTV, podcast e revista online, e foi colaborador de diversos sites na área de jornalismo cultural. Hoje, integra a redação e apresenta regularmente o Sploosh Podcast.

Atualmente, é ator em formação pela Escola Superior de Artes Célia Helena.